Será que ele é? Descubra aqui

Príncipe Cinderela

Veja como identificar se o seu marido ou pretendente pode um dia
sair do armário

por Carlos Cruz | 26/05/2010

Tudo começou quando as jornalistas Ticiana Azevedo e Consuelo
Dieguez
se encontraram com a amiga Sofia para um bate-papo
informal. Sofia, ainda em estado de choque desde a
noite anterior, decide contar às amigas o motivo de sua desilusão:
descobriu, após sete anos de casamento, que seu marido era gay.
Ao contrário de muitas mulheres que preferem "abafar o caso", Sofia
pediu às amigas que escrevessem um livro para ajudar outras mulheres na
identificação de homossexuais que não se assumem.

Assim elas
fizeram. Ouviram médicos, psicólogos, mulheres que haviam passado por
situações semelhantes, gays que sempre se assumiram e outros que haviam
se assumido recentemente. Até promoters de boates gays e professores de
educação física entraram na extensa lista de entrevistas realizadas com o
intuito de coletar material suficiente para desenvolver o livro "Cuidado,
Seu Príncipe Pode Ser Uma Cinderela
", que as autoras chamam de
"um guia prático".

"Percebemos que a maioria dos enrustidos teme
ser discriminada. Eles têm muita vergonha de se mostrar para a família,
para os amigos e colegas de trabalho. Na verdade, percebemos que, por
mais que nossa sociedade pareça liberal, ela é muito cruel com os
homossexuais", afirmou Ticiana. Segundo a autora, é mais fácil a
sociedade aceitar a "bicha caricata e espetaculosa" do que o homem que
assume suas preferências, mas não fica dando bandeira da sua condição.
"Esse sofre mais porque quer levar uma vida normal, ser um bom
profissional e viver abertamente com seu companheiro".

Rejeição
familiar

De acordo com a psicóloga Adriana
Nunan, especialista em comportamento sexual, 70% a 80% das famílias
rejeitam inicialmente os filhos que se assumem gays. "Depois de um
tempo, algumas famílias acabam aceitando a opção sexual
dos filhos, mas ainda assim falam ‘ele é meu filho, mas é gay’, como se
fosse um problema, um defeito", afirma a especialista.

Adriana
conta que é grande o número de mulheres que chega ao seu consultório
desconfiando da masculinidade de seus parceiros e que, na maioria das
vezes, o problema está nas próprias mulheres. "Algumas procuram se
relacionar com homens com alguma dificuldade que impossibilite um
compromisso maior, como os casados, os gays ou os mulherengos. Muitas
vezes elas caem na ilusão de que conseguirão mudar seus parceiros, o que
na maioria das vezes é muito difícil".

Rir pra não chorar

O livro
reúne algumas histórias engraçadas como a da mulher que saiu com um
homem e no meio do encontro ele disse: "linda". Toda vaidosa com o
elogio, ela logo desmontou ao ouvir o restante da frase: "Linda a sua
bolsa com esse detalhe de oncinha". Ou o drama da mulher que, no dia do
falecimento de seu pai, seu marido a abandonou revelando que mantinha um
caso secreto com o sogro falecido.

Para a cantora Danni Carlos, o
problema seria facilmente solucionado se houvesse sinceridade no
relacionamento. "Só tenho preconceito contra a inverdade, contra a
mentira. Se eu namorasse um homem que fosse homossexual e eu soubesse
disso através dele, não teria problema. Poderia ser apenas uma fase ou,
então, se o amor fosse recíproco, não haveria problema. Mas não pode
haver mentira. Se a pessoa com quem me relaciono mente sobre sua
preferência sexual, certamente vai mentir sobre tudo. Aí, sim, eu
ficaria chateada. O que eu procuro num relacionamento é a verdade",
declarou.

Adriana Nunan lembra que, às vezes, o preconceito do
homossexual contra o homossexualismo é tão grande que nem ele consegue
enxergar que é gay. Embora o corpo dê sinais, ele tenta levar uma vida
heterossexual, casando-se e tendo filhos. Em outros casos, a escolha é
consciente, movida pela vontade de ter uma família tradicional, por uma
posição política ou social elevada ou por medo de perder bens. "O meu
conselho é que a mulher investigue se achar que há alguma coisa
diferente no relacionamento e nunca ignore o problema", recomenda a
especialista.


*A imagem ilustrativa deste post retirei do blogspot http://patriciaalbano.blogspot.com/2009/06/seu-principe-pode-ser-uma-cinderela.html através de pesquisa na internet.
*As informações acima retirei do site http://msn.bolsademulher.com/amor/principe-cinderela-101063.html através de pesquisa na internet.

Esse post foi publicado em Casamento. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Será que ele é? Descubra aqui

  1. Mariana disse:

    Muitas mulheres já passaram por isso. Elas se encantam com um homem numa festa, num jantar ou na praia e, de repente, descobrem que o time dele é outro. Se for assumido, é fácil, porque o assunto virá à tona num trejeito ou numa confissão sincera. E se for enrustido? Aí, pode complicar. Muitos apelam para ser bi. Outros casam com uma mulher e podem se esconder a vida toda, mesmo a um custo alto.Como perceber antes de se apaixonar? Ou até casar?“Um sinal óbvio é quando o cara começa a contar uma história, de uma viagem, e um hotel em que ele estava com ‘uma pessoa’. Não é uma namorada, ou a mulher, nem mesmo um amigo. É ‘uma pessoa’. Aí, pode ter certeza, é gay”.O problema é que as mulheres não querem se convencer. Ao encontrarem um homem elegante, bonito, bem vestido, bem tratado, com pós-graduação, que conversa e dança divinamente, é independente e bem sucedido, elas se recusam a admitir que ele possa ser gay. Dá pra entender, com a carência no mercado…. DICA:1) Os álibis. Se ele é sozinho mas enche a boca para falar da ex-mulher, da ex-namorada, da ex-sogra, é um forte candidato a ficar dentro do armário indefinidamente.2) Grifes em profusão. “O cara todo grifado, dos pés à cabeça, dá a maior bandeira. Até criancinha suspeita, como a neta de cinco anos de uma amiga minha, que olhou para um desses e perguntou. Vó, ele é bicha?”3) Caipirinha sem açúcar e com adoçante, se o cara não for diabético. (Coca light pode)4) Na academia, é fácil. “Eu bato o olho e sei, hoje em dia. Um professor me orientou. Malhar em dupla, por exemplo. Falar baixinho entre eles. Mais de 40 centímetros de bíceps. Shortinho muito apertado. Os enrustidos disfarçam mas não conseguem parar de se olhar no espelho. O narcisismo é o que denuncia mesmo. Dá para entender, já que buscam a semelhança total, o reflexo”.5) Excessiva vaidade. Escova, depilação de tórax e sobrancelha. “Essa história de metrossexual está indo longe demais. Como disse um amigo, só o italiano consegue ser super elegante, vaidoso e hetero ao mesmo tempo”.6) Excessiva preocupação com a barriga. “Gay odeia tanto barriga que pode passar uma festa inteira sem respirar – quem disse isso foi um gay, claro. Os heteros costumam ser mais largadões no quesito barriga”.- Tem volta? Homem que gosta de transar com homem jamais vira hetero.- Casamento com mulher recupera o enrustido e ele deixa de procurar homens? Nunca. Em vários sites, como o disponivel.com, muitos casados buscam amores gays. “E há os que se acham hetero. Têm horror de bicha. Dizem querer ‘um macho sem frescura, como eles’. E explicam que é só sexo, não relacionamento”.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s