Casamento na Umbanda

Ontem, pela promeira vez, participei de um casamento Umbandista… cerimônia recheada de rituais e momentos emocionantes… um deles a oração do Pai Nosso Umbandista…
 

Como é o casamento nas religiões de origem africana

• As religiões brasileiras de origem africana (candomblé, umbanda, tambor de mina e xangô) realizam cerimônias de batismo, de iniciação, de casamento entre outras
• Os casamentos ocorrem nos Terreiros, têm padrinhos e são celebrados por Sacerdotes e Autoridades religiosas
• Textos sagrados são lidos e atos ritualísticos são realizados durante todo o ritual
• A troca de alianças é disseminada
• Uma ata é lavrada em cada ocasião. A transcrição da ata funciona como certidão

Casamento com Efeito Civil

No Brasil, o casamento veio junto com os colonos portugueses, sendo que o casamento proferido pela Igreja Católica era oficial, até a promulgação do Decreto nº 181/1890, advindo com a República. Tal decreto tornou o Brasil um país laico, não tendo uma religião oficial e sendo, agora, o casamento civil obrigatório.  Uma das características do casamento, e talvez a maior delas, é a manifestações das vontades, entre essas manifestações, está à vontade dos noivos que contrair o matrimônio na religião em que depositam sua fé e seus princípios. Outra característica é que o ato deve ser solene, "A lei o reveste de formalidades destinadas não somente à sua publicidade, mas também à garantia da manifestação do consentimento dos nubentes", onde há a necessidade de padrinhos que atestam as manifestações assim como todo o ato solene.

Para o casamento ser válido e eficaz, contudo, é necessário que ele preencha alguns requisitos, entre eles: o da Validade, o da Eficácia e o da Existência:

- o requisito Validade compreender a capacidade dos nubentes e o não impedimento de contrair matrimônio;

- o requisito Eficácia prender-se à regularidade do casamento;

- o requisito da Existência é o mais importante, onde só é considerado inexistente o casamento em três situações: quando este é celebrado por autoridade absolutamente incompetente, quando é contraído sem consentimento, ou ainda quando é realizado entre pessoas do mesmo sexo.

O Casamento religioso com efeitos civis

No nosso ordenamento jurídico, três tipos de matrimônio são considerados: o civil, o religioso sem efeitos civis e o religioso com efeitos civis.

O casamento religioso sem efeitos civis não é aceito pelo Estado, podendo, entretanto, os nubentes o efetivarem depois de um lapso temporal através da União Estável. O casamento religioso com efeitos civis é aquele celebrado por uma "AUTORIDADE OU MINISTRO RELIGIOSO"
(art. 71 da Lei dos Registros Públicos).

E ai está a primeira indagação que se faz à improcedência do casamento espírita, haja vista a falta de Autoridade Espírita . É sabido que a doutrina espírita não possui os mesmos moldes da religião judaico-cristã , evangélica ou quaisquer outras as quais podem celebrar um casamento religioso, pois possuem um grau de hierarquia exorbitante.

E na Umbanda como acontece um casamento?

Primeiro precisamos saber onde está a Autoridade do Terreiro. Segundo o dicionário da língua portuguesa Houaiss autoridade significa:

1.    direito ou poder de ordenar, de decidir, de se fazer obedecer; (…) 5. influência exercida por pessoa sobre outra; (…) 7. especialista respeitado sobre um assunto

então percebemos que os Sacerdotes, Pais e Mães Espirituais são as pessoas capazes de preencher os requisitos supracitados, são as Autoridades e são elas quem devem realizar o cerimonial, assim sendo o casamento na Umbanda terá efeitos civis. Interpretando os dizeres da própria Constituição Federal de 1988, no Art. 5º, VI onde diz: "é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e as suas liturgias", pode-se notar que a liberdade de culto é facultada a todos e que a leis devem valer a todos, porem, se passarmos a entender que a Umbanda não tem os mesmos direitos que a Igreja Católica, por exemplo, estaremos menosprezando uma religião e, conseqüentemente, aqueles que dela fazem parte.

Segundo, o cerimonial do casamento na Umbanda deve ser um ato solene e realizado com todos os atos ritualísticos pertencente à Umbanda, como defumação, abertura de gira, canto a Oxalá, etc. Deverá a Autoridade proferir esse ato solene para só depois, os Guias Espirituais abençoar o casal e as alianças (ato espiritual). Tudo
acompanhado pelos padrinhos onde atestarão, após a cerimônia, o ato em um livro ata designado para esse fim, ficando assim registrado a veracidade da cerimônia.

Não se esquecendo de expor aos noivos a importância do casamento, a importância da família e que essa união estabelecida por Deus é importante para nosso aperfeiçoamento, que um relacionamento afetivo só será bem sucedido se houver respeito e entendimento mútuo e que acima de toda e qualquer visão materialista, o casamento é geralmente, um compromisso assumido antes da reencarnação. Para André Luiz, que ditou 17 livros para Chico Xavier, há vários tipos de casamentos:

Casamento acidental: o encontro de almas inferiorizadas por efeito de atração momentânea, sem qualquer ascendente espiritual. Nesse caso, funciona apenas o livre-arbítrio. Nos dias atuais, tais casamentos são comuns pela falta de compromisso, pelo desequilíbrio emocional e pela insatisfação generalizada.

Casamento provacional: esse é o reencontro de almas para os reajustes necessários à evolução de ambos. Esses são os mais freqüentes, por isso existem tantos lares onde prevalecem os conflitos morais, a desarmonia e a desconfiança.

Casamento sacrificial: reencontro de uma alma iluminada com uma alma inferiorizada. O objetivo é redimir e ajudar o espírito que se encontra em posição inferior.

Casamentos afins: o reencontro de corações amigos para consolidação de afetos. Reúnem almas esclarecidas e que muito se amam. São espíritos que no ambiente doméstico consolidam antigos laços de afeição.

Casamentos transcendentes: de almas engrandecidas no bem que se buscam para realizações imortais.

Texto retirado do Jornal de Umbanda Carismática- JUCA

Edição nº.10/maio de 2007

RITUAL  DE  CASAMENTO

PARTE ADMINISTRATIVA

 

O templo deve ser preparado  com flores, toalhas limpas no Congá, uma mesa branca coberta toalha branca que servirá de suporte para o livro de atas, para  as alianças e para os instrumentos sagrados. 

·         Toalhas dos Sacerdotes;

·         Sineta;

·         Água Mineral;

·         Ramo de Louro (representa a fartura e riqueza);

·         Pemba;

·         Dois Cálices de água, adoçada com mel puro, para serem brindados pelos noivos, diante do Congá, após a declaração do zelador de  que estão casados.

PARTE RITUALÍSTICAS 

1.    Antes da entrada dos noivo, o zelador fará a abertura do templo da forma como normalmente é feita nos outros rituais.

2.    Os  noivos entrarão de baixo de uma toalha (ALÁ) cada um com uma vela acesa nas mãos.

Esta toalha será levada pelos padrinhos sustentadas pelas pontas e pelo meio das laterais. Os padrinhos da noiva e as madrinhas do noivo.

Deverão estar todos de branco (e com suas Guias, no caso de serem filhos do terreiro).

3.    Quando chegarem  ao centro do terreiro, a toalha será recolhida e a partir daí, os noivos vão até à mesa sozinhos.

4.    Os padrinhos tomarão seus lugares em ambos os lados dos noivos

CERIMÔNIA

O ZELADOR INICIARÁ A CERIMÔNIA ANUNCIANDO AO PÚBLICO PRESENTE QUE O ___________ (NOME DO NOIVO), FILHO DE _________________(NOME DO PAI) E DE _________________(NOME DA MÃE) E ___________________(NOME DA NOIVA), FILHA DE _______________(NOME DO PAI) E DE _________________(NOME DA MÃE), DECIDIRAM POR SUA LIVRE E ESPONTÂNEA VONTADE SE UNIREM EM MATRIMÔNIO, NA CASA BRANCA DE OXALÁ, PERANTE SUAS ENTIDADES, E ORIXÁS (QUANDO UM OU OUTRO JÁ TIVEREM A OBRIGAÇÃO DOS DOIS ORIXÁS), O QUE SERÁ FEITO A  PARTIR DESTE MOMENTO CASO AMBOS CONTINUEM CERTOS DE SUA DECISÃO. (UM BREVE OLHAR DO SACERDOTE, PERGUNTANDO SE CONTINUA A CERIMÔNIA).

AS VELAS BRANCAS ACESAS, NAS MÃOS DOS NOIVOS, SIMBOLIZAM AS ASPIRAÇÕES QUE OS LEVARAM AO CASAMENTO, OU SEJA, QUE SÃO CLARAS, PURAS E LIVRES DE INTERESSE, SUSTENTADOS PELA LUZ DO AMOR.

DESTA FORMA, COMO AS VELAS IRRADIAM LUZ CLARA E FORTE, ASSIM TAMBÉM AS ALMAS DE VOCÊS, ________________(NOME DO NOIVO) E _______________(NOME DA NOIVA) DEVEM ESTAR CLARAS, PURAS PARA ESTE ATO. ASSIM TAMBÉM, COMO ARDEM AS CHAMAS DAS VELAS, DEVE ARDER A CHAMA DO AMOR DE VOCÊS, DURANTE TODA A VIDA DE CASADOS, E TAMBÉM O AMOR PELA RELIGIÃO EM QUE ABRAÇAM E CONFIAM.

A COROA DE FLORES, ESTA QUE VOCÊ TRAZ NA CABEÇA, É UM SÍMBOLO DE PODER, DE COROAÇÃO E QUE VOCÊ E VOCÊS DE AGORA EM DIANTE SE TORNARÃO FUNDADORES DE UMA FAMÍLIA E DONOS DE UM LAR, OS REIS, POR ASSIM DIZER, DE UMA GERAÇÃO FUTURA E QUE RECEBEM A INCUMBÊNCIA DE UTILIZAR ESTE PODER PARA A FELICIDADE DOS QUE VIEREM SE JUNTARA ESTA FAMÍLIA. SEJA ESPIRITUAL OU CARNAL.

Neste momento, o zelador fará uma pequena prédica agradecendo às Almas presentes, em especial aos Pretos Velhos, Caboclos, Crianças e Exús, pela ajuda que estão dando à Casa Branca e que  darão durante a Cerimônia de Casamento a se realizar neste momento. Falará a seguir sobre o  casamento, o reconhecimento civil dele, quando feito na Umbanda, a visão que a nossa religião tem desse compromisso e, finalmente, o casamento perante as responsabilidades do mundo e do astral.

A seguir, o zelador perguntará ao noivo se continua decidido a se unir com a  noiva (cita o nome de ambos em voz alta); depois da resposta afirmativa do noivo, repete da mesma forma a pergunta à noiva. Tendo ambos respondido afirmativamente serão ambos cruzados com Pemba branca.

A seguir o zelador dirá e será acompanhado pelos noivos:

 COMPROMISSO DOS NOIVOS FRENTE À UMBANDA

 EU, _____________________(NOME DO NOIVO),  ME COMPROMETO A PERMANECER JUNTO A ______________________(NOME DA NOIVA), E _______________________(NOME DA NOIVA)  ME COMPROMETO A PERMANECER JUNTO DE _________________________(NOME DO NOIVO), EM TODOS OS MOMENTOS DE ALEGRIA E TRISTEZA, SAÚDE E DOENÇA, POIS NOSSA UNIÃO SERÁ COMO DIAS COLUNAS A SUSTENTAREM O TEMPLO DE NOSSO CORAÇÕES E DE NOSSA FAMÍLIA,  FAZENDO PREVALECER ENTRE NÓS O AMOR E O RESPEITO, DANDO-NOS CONFIANÇA MÚTUA E O COMPROMISSO DE AMPARAR-NOS UM AO OUTRO EM SUA PRÓPRIA ESTRADA, JÁ QUE, EMBORA ESTEJAMOS JUNTOS EM TODOS OS INSTANTES DE NOSSA VIDA, SEREMOS RESPONSÁVEIS, CADA UM DE NÓS, PELO SEU PRÓPRIO CAMINHO DE EVOLUÇÃO.

OS PROBLEMAS DA VIDA TERRENA, TEMOS CERTEZA, NÃO DESAPARECERÃO, MAS  SE TORNARÃO MAIS FÁCILMENTE SUPERÁVEIS COM A FORÇA DA NOSSA UNIÃO. COM ELA VENCEREMOS TODOS OS OBSTÁCULOS QUE SE NOS PUSEREM E SEREMOS O EXEMPLO VIVO PARA NOSSA COMUNIDADE, NOSSOS IRMÃOS E NOSSOS FILHOS CARNAIS OU ESPIRITUAIS, DAQUILO QUE DESEJAMOS QUE SEJAM NESTE MUNDO: CAMINHANTES DO CRISTIANISMO, DO AMOR AO PRÓXIMO E DA PERSISTÊNCIA NO RUMO DA EVOLUÇÃO.

AOS PADRINHOS

 

EM  VÁRIAS CIVILIZAÇÕES ANTIGAS ERA PRAXE, EM DIA DE FESTAS, CUIDAR-SE MAIS DA SEGURNÇA DA ALDEIA. ISSO PORQUE OS INIMIGOS SABENDO DOS COSTUMES E DAS FESTAS, COSTUMAVAM ATACAR, QUANDO A ALDEIA EM FESTA ERA APANHADA DESPREVENIDA. NOS CASAMENTOS, EM ESPECIAL NA ÍNDIA, DOIS COSTUMES SE FIRMARAM E PASSARAM À POSTERIDADE DE INÚMERAS OUTRAS CIVILIZAÇÕES, INCLUSIVE AS OCIDENTAIS. O PRIMEIRO DELES ERA O DA NOIVA FICAR SEMPRE AO LADO ESQUERDO DO NOOIVO, DEIXANDO SUA MÃO DIREITA LIVRE PARA EMPUNHAR E  ESPADA EM CASO DE NECESSIDADE; O SEGUNDO ERA  DE ESCOLHER HOMENS FORTES E AMIGOS QUE PUDESSEM AJUDAR O NOIVO NA DEFESA DE SEU CASAMENTO E POSTERIOMENTE DE SEU LAR.  ESSA É A ORIGEM DOS PADRINHOS EM NOSSO MUNDO ATUAL. NÃO DEVEMOS ESPERAR QUE OS PADRINHOS TENHAM QUE EMPUNHAR A ESPADA N DEFESA DESSE CASAL QUE  OS  ESCOLHEU. MAS, MUITO MAIS IMPORTANTE QUE ISSO, É O APOIO QUE PODERÃO DAR A AMBOS NA CAMINHADA QUE HOJE COMEÇARÃO A COMPARTILHAR. APOIO QUE SE REVELARÁ ATRAVÉS DO AMOR DEDICADO POR VOCÊS AOSDOIS, PELA CAPACIDADE QUE DEVERÃO TER PARA OUVI-LOS, ACONSELHÁ-LOS E ORIENTÁ-LOS.

Essa é, na Umbanda uma responsabilidade Espiritual que vocês estão assumindo perante o Plano Astral. Peço aos Padrinhos que repitam comigo:

PERANTE A EGRÉGORA DA CASA BRANCA DE OXALÁ, PERANTE TODOS OS ESPÍRITOS AQUI PRESENTES, ENCARNADOS E DESENCARNADOS, PERANTE NOSOS AFILHADOS , PROMETEMOS NÃO FALHAR NESSE NOSSO COMPROMISSO DE AMÁ-LOS E AJUDÁ-LOS DURANTE TODA NOSSA VIDA.

Antes da cerimônia da troca de alianças, cabe lembrar que:

OS ROMANOS A USAVAM NO DEDO MÉDIO DA MÃO DIREITA E NO ANULAR DA ESQUERDA, DONDE, SEGUNDO UMA ANTIGA CONCEPÇÃO MÉDICA EGÍPCIA, UM NERVO PARTIA DIRETAMENTE PARA O CORAÇÃO. ESSAS ALIANÇAS, REPRESENTAM, ATRAVÉS DO CÍRCULO QUE CONFORMAM, A ETERNIDADE, A PERMANÊNCIA, AQUILO QUE NÃO  TEM FIM. POR OUTRO LADO, O FATO DE A ALIANÇA DA NOIVA, NA MAIORIA DAS VEZES, SE ENCAIXAR PERFEITAMENTE DENTRO DA ALIANÇA DO NOIVO, TEM DOIS  SIGNIFICADOS: O PRIMEIRO É O DA RESPONSABILIDADE DE PROTEÇÃO QUE O NOIVO ASSUME COM RELAÇÃO  A NOIVA. E O SEGUNDO, É A DA  UNIÃO DE DUAS PERSONALIDADES QUE NÃO PEERDERÃO SUA INDIVIDUALIDADE MAS QUE BUSCARÃO A CADA DIA TORNAR-SE MAIS E MAIS UNIDOS NA BUSCA DE OBJETIVOS COMUNS E NA OCUPAÇÃO DE UM SÓ ESPAÇO, POR AMBOS, NO PLANO ESPIRITUAL, NO CAMPO MATERIAL E NO FÍSICO.

A SEGUIR O ZELADOR PRONUNCIA AS SEGUINTES PALAVRAS:

EU, SOLANO D E OXALÁ, ORDENADO SACERDOTE NO TEMPLO CASA BRANCA  DE OMOLU, DIRIGIDO POR MÃO MARIAZINHA DE OMOLU, POR SUA VEZ ORDENADA NO TEMPLO ROÇA ESTRELA GUIA DE OMOLU DAS ALMAS, DIRIGIDO  POR SEU PAI OMOLUBÁ, POR SUA VEZ DESCENDENTE DA ROÇA ESTRELA GUIA DE SUA MÃE DOCA, E PELO PODER QUE ME FOI CONFIADO PELA EGRÁGORA DA CASA, PELO MEUS ORIXÁS, PELAS MINHAS ENTIDADES, E POR TODAS AS ENTIDADES QUE AQUI PRATICAM A CARIDADE BEM COMO  DE TODOS ENCARNADOS E DESENCARNADOS AQUI PRESENTES, ABENÇOO ESTEE CASAL E OS DECLARO MARIDO E MULHER, PERANTE O MUNDO ESPIRITUAL E MATERIAL.

PEÇO QUE ELEVEM SEUS PENSAMENTOS AO NOSSO PAI MAIOR,PEDINDO QUE DERRAME  SUAS BÊNÇÃOS SOBRE ESTES FILHOS.

(Neste momentos todos levantam os braços)

Glória a Deus

OS NOIVOS TOMAM EM SUAS MÃOS O CÁLICE

_____________________(NOME DO NOIVO) E ___________________(NOME DA NOIVA), AO BEBEREM ESTA ÁGUA COM MEL, CONSCIENTES DO SINAL DE QUE, DORAVANTE, EM TODA  A SUA VIDA CONJUGAL, DEVERÃO TER TUDO DE COMUM ACORDO, OS MESMOS DESEJOS E INTENÇÕES, DE QUE DEVERÃO DIVIDIR TUDO POR QUE PASSAREM, AS ALEGRIAS E AS TRISTEZAS, TRABALHO E REPOUSO, OS GRANDES FEITOS E O RECOLHIMENTO POR ESTES FEITOS. E QUE AS ALEGRIAS SEJAM MUITAS E AS TRISTEZAS SEJAM ALICERCE DE CRESCIMENTO PARA OS DOIS.

(Neste momento, os noivos tomam o cálice de água)

Os Zeladores neste momento, cumprimentam os noivos, sendo seguido pelos padrinhos que  os abraçarão. A seguir os zeladores e os filhos e os noivos encerrarão o ritual com o fechamento tradicional. Após o encerramento da Gira, os noivos sairão do Templo, sobre uma chuva de pétalas de flores, jogadas por todos os presentes. Caso haja alguma comemoração, bolo, etc…, as cortinas do terreiro deverão estar fechadas e a  comemoração se desenrolará fora do mesmo.

Pai Nosso Umbandista

PAI NOSSO QUE ESTAIS NOS CÉUS,
NAS MATAS, NOS MARES E EM TODOS
OS MUNDOS HABITADOS.
SANTIFICADO SEJA O TEU NOME,
PELOS TEUS FILHOS, PELA NATUREZA,
PELAS ÁGUAS, PELA LUZ E PELO AR
QUE RESPIRAMOS.
QUE O TEU REINO, REINO DO BEM,
DO AMOR E DA FRATERNIDADE,
NOS UNA À TODOS E A TUDO QUE
CRIASTES, EM TORNO DA SAGRADA
CRUZ, AOS PÉS DO DIVINO SALVADOR
E REDENTOR.
QUE A TUA VONTADE NOS
CONDUZA SEMPRE PARA O CULTO DO
AMOR E DA CARIDADE.
DAI-NOS HOJE E SEMPRE A
VONTADE FIRME PARA SERMOS
VIRTUOSOS E ÚTEIS AOS NOSSOS
SEMELHANTES.
DAI-NOS HOJE O PÃO DO CORPO,
O FRUTO DAS MATAS E A ÁGUA
DAS FONTES PARA O NOSSO SUSTENTO
MATERIAL E ESPIRITUAL.
PERDOA, SE MERECERMOS,
AS NOSSAS FALTAS E DÁ O SUBLIME
SENTIMENTO DO PERDÃO PARA OS
QUE NOS OFENDAM.
NÃO NOS DEIXEIS SUCUMBIR,
ANTE A LUTA, DISSABORES, INGRATIDÕES,
TENTAÇÕES DOS MAUS ESPÍRITOS E
ILUSÕES PECAMINOSAS DA MATÉRIA.
ENVIAI-NOS, PAI, UM RAIO DE
TUA DIVINA COMPLACÊNCIA, LUZ E
MISERICÓRDIA PARA OS TEUS FILHOS
PECADORES QUE AQUI HABITAM,
PELO BEM DA HUMANIDADE, NOSSA IRMÃ.
ASSIM SEJA.


*A imagem ilustrativa deste post retirei do site http://www.acheifesta.com.br/saopaulo/produtos/g_aliancas.jpg através de pesquisa na internet.

*As informações acima retirei do site http://www.grupos.com.br/group/umbandaemcristo/Messages.html?action=message&id=1213973921636159&year=08&month=6&prev=1 através de pesquisa na internet.

*A Oração do Pai Nosso Umbandista retirei do blogger http://umbandacaminhodaferitosdeumba.blogspot.com/2007/12/pai-nosso-da-umbanda.html através de pesquisa na internet.

Esse post foi publicado em Casamento. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Casamento na Umbanda

  1. мãє disse:

    O Pai Nosso da Umbanda é lindissimo…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s